Reflexão sobre o homo digitalis

“Tia Tutu, não tem iPad, não tem aguinha. Não tem nada. E agora?” Amelie nasceu em um mundo de luz azul. Ao 1 ano e 2 meses de idade, pela primeira vez via o apagar. Chovera. Caiu a Luz. O iPad, sem bateria, e não rolava tirar água gelada do filtro. É de uma geração … Continue lendo Reflexão sobre o homo digitalis

Anúncios

A última geração a curtir o real antes do virtual (ou: Por que faço este blog?)

Estou lendo um livro, o iGen, da psicóloga Jean Twenge, sobre a geração do iPhone que cresceu já nesse mundo de celulares, tablets, videogames e internet. Descubro que são os que nasceram entre os anos de 1995 e 2015. Aí é quando você nota que realmente tá ficando velho. Com 10 anos a mais do … Continue lendo A última geração a curtir o real antes do virtual (ou: Por que faço este blog?)